segunda-feira, 23 de outubro de 2017

ah, a maravilha do mansplaining. homenzinho de merda te explicando o assunto em que você é doutora. não fode, colega.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

tava num bar depois de um dia bosta e a colega começa a desabafar. marido é depressivo (tem mais coisa aí, mas o homi não aceita tratamento), tá surtando no novo emprego depois de um mês (e uma tentativa fracassada antes disso). diz que a vida tá tudo uma merda, que não quer viver nesse inferno, quer se matar etc. colega não entende esse sofrimento todo, acha que é mimimi. porque todo mundo passa por isso, a vida é injusta, suck it up. é isso que as pessoas pensam, né? frescura. foi isso que meu pai deve ter pensado quando eu não consegui ir pra escola onde eu trabalhava. que minha mãe deve ter achado quando eu faltei prova na faculdade porque não conseguia levantar da cama. deve ser isso que meus colegas, professores e o resto do mundo pensa quando eu perco aula, não entrego trabalho no prazo, não faço prova. é triste porque é mesmo um inferno. e não vai passar. eu vou entrar e sair de crise como nos últimos 10 anos, acumulando fracasso, e as pessoas vão continuar achando que é mimimi. nunca vai embora.

***

to estudando com uns guris que acham que a vida termina aos 40 e to apaixonada por um homem casado. de novo. eu não poderia ser mais patética.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

pra quem tá fuçando o arquivo do meu diarinho: aqui só presta esta arte e a minha crítica literária. o resto é rancor derramado e mágoa vencida. perde tempo não. 

sábado, 18 de fevereiro de 2017

minha professora dizia que a literatura tinha a função de "nos livrar do caos do inominável". besteira. o que nos livra do caos é antidepressivo mais umas gotinhas de rivotril. só as dorga salva. o resto é perfumaria.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

- cê emagreceu! tá de dieta?
- depressão. vem com perda de apetite e vontade de morrer. super recomendo.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

- to deprimida.
- bora mudar esses pensamentos.

porque, óbvio, o que me falta é ~pensamento positivo~.

tomar no cu.

TOMAR

NO 

CU

sábado, 7 de janeiro de 2017

vi uma @ explicando que estuda muito porque era deprimida e agora quer recuperar o tempo perdido. eu sempre fui depressiva funcional. tava na merda, mas estudava. mas também tenho uma sensação de tempo perdido e uma vontade (e pressa) ainda maior de preencher esse vazio. um conhecido, falando sobre a perda da mãe, disse que queria tanto viver que se fudeu. é isso. quero viver até me fuder. 

(fuder também seria bom, mas não vamos exigir demais do universo.)